Outubro Rosa: exames que detectam o câncer de mama

maxresdefault

Outubro Rosa: exames que detectam o câncer de mama

(Foto: Reprodução Internet)

Quando detectado em fases iniciais, o câncer de mama tem grandes chances de alcançar a cura. Para que isso ocorra, no entanto, é preciso conscientizar a população, em especial as mulheres, sobre a importância do autoexame e de manter os exames prescritos por um profissional da saúde em dia. Os dois procedimentos mais eficazes na detecção do câncer de mama são a mamografia de rastreamento e a mamografia diagnóstica. Confira as diferenças!

Mamografia de rastreamento
No Brasil, a recomendação do Ministério da Saúde é de que mulheres que tenham idade entre 50 e 69 anos façam a mamografia de rastreamento pelo menos uma vez a cada dois anos quando não há sinais e nem sintomas. Este exame é o mais comum e pode reduzir consideravelmente a mortalidade da doença, facilitando sua descoberta mesmo antes de a doença se manifestar claramente. Nestes casos, o tratamento pode ser bem menos agressivo.

Mamografia diagnóstica
A mamografia diagnóstica pode ser solicitada em qualquer idade, apesar de não ser indicada para mulheres muito jovens, já que como nesta idade as mamas são mais densas, o exame pode apresentar muitos resultados incorretos. De forma geral, assim como outros exames complementares, a mamografia diagnóstica tem o intuito de investigar lesões suspeitas na mama, visando um diagnóstico precoce da doença.

É importante saber que o acompanhamento de um médico é essencial para evitar resultados falso-positivos ou falso-negativos, unindo estes exames a outros que podem confirmar ou excluir a possibilidade da doença. Não dê bobeira para o câncer de mama, fique ligada! 😉

Texto: Mayara Castro/Jornalista na Netshare Marketing Criativo

Posts Relacionados